O Homem do Futuro (2011)

“Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou, mas tenho muito tempo… Temos todo o tempo do mundo…”. Com certeza a maioria de vocês já identificou a música “Tempo Perdido” do grupo Legião Urbana. Por sinal, foi exatamente esta a sensação que tive ao ver este filme. Perdi meu tempo. Que me perdoem os “deuses” que regem a cultura nacional por achar que um filme escrito e dirigido por um integrante da talentosa família Montenegro possa ser ruim. Na minha modesta opinião, achei muito ruim mesmo, contradizendo muitas críticas que andei vendo por ai. A ousadia do diretor Claudio Torres em lançar uma história de ficção científica com o enredo que se mistura a uma comédia romântica teve um resultado péssimo. O público que gosta de Sci-fi é bem exigente, não aceitam muito bem qualquer lógica boba que tenta explicar aspectos técnicos, naturais nos filmes do gênero. E este filme foi uma das piores tentativas de se trabalhar com o tema “viagem no tempo”.

Os diálogos são bobos, sem criatividade. Os atores parecem perdidos naquela correria que se passa no dia da fatídica festa de faculdade onde Zero (Wagner Moura) é ridicularizado.

Claudio Torres em segundo plano, com Wagner Moura

Com uma historia fraca, sobra a performance dos atores. Foi aí que me surpreendi de verdade. Vi um Wagner Moura forçado, com pouca naturalidade para interpretar um jovem bobo, gago, tímido que se apaixona pela garota mais bonita da faculdade. Bem piegas mesmo, totalmente diferente dos filmes que passaram por seu curriculum vitae. Mesmo se aventurando a fazer três personagens em um só, Wagner não me convenceu. Uma pena porque eu gosto muito deste ator.

Para não terminar esta crítica sem nenhum elogio, destaco a música “Tempo perdido” que é exibida mais de 10 vezes ao longo do filme. Na verdade, parece que só existe ela na trilha sonora. Como gosto muito de Legião, curti em cada momento que ela tocou. Foi o que consegui tirar de bom do filme, a música. Uma pena para o cinema nacional e para quem foi ver o filme, fisgado pelo apelo comercial “Wagner Moura”. Infelizmente, não recomendo nem para sessão da tarde. Sinceramente gostaria de obter outras opiniões sobre este filme que me dessem argumentos para olhá-lo com mais atenção.

Comentários

  1. Sério man? Um dos melhores e mais divertidos filmes nacionais foi “tempo perdido” pra você?

    O filme sobre brincar como poucos com o conceito de viagem no tempo, conseguiu fazer uma história bacana e mesmo com alguns diálogos bobos é um entretenimento de primeiro, mas essa é a minha opinião.

    Abraços

    • Olá Marcio. Prazer em ter seu comentário por aqui.

      Antigamente eu ia aos filmes nacionais com a ideia de relevar muitas questões, entendendo que estávamos muito atrás do cinema mundial. De certa forma, me contentava com pouco. Bastava aparecer um filme razoável e pronto, podíamos dizer que era bom. Hoje, mais velho e mais “chato”, passei a ver os filmes brasileiros com igualdade de condições perante os outros, mesmo sabendo que é muito difícil obter os investimentos realizados nas superproduções americanas. É com este espírito atual que vi “O Homem do Futuro”. Por exemplo, não consigo evitar uma comparação com “De volta para o Futuro”, de 1985. Veja, um filme que vai fazer 30 anos daqui a pouco. Este sim foi um filme bom que tratava o tema “Viagem no tempo”. Por outro lado, se eu for olhar só para a história romântica, ai piorou, porque não consegui ver Wagner Moura render o que eu esperava. Talvez tenha sido esta a minha maior frustração com este filme.

      • Fabio Farzat
        em 04/02/2012 01:00

        Pô,

        assisti enfim ao filme. Vou dizer: como sci fi nem vale comentar. Agora se levarmos em conta que é nacional (eu sei, não devíamos dar desconto) e que ousou ao tratar de viagens no tempo … vale o desconto.

        Eu diria que foi médio. Wagner Moura mandou razoável nas três versões de Zero e no restante foi tudo dentro do mínimo. O gordinho Otávio mandou muito mal, sem expressão, sem emoção na voz … ele por vezes puxou o filme pra baixo. #MyOpinion

        • Porra man! Tu acha isso mesmo? Um cara como vc, adorador de ficção científica que é fã do filme “De volta para o Futuro” gostou desta história? Bem original, por sinal. rs Talvez eu estivesse de mal humor no dia que vi, porque só consegui gostar da música. Vou até ver novamente após uma vitória do Vasco para ver se tenho outra opinião. rs

          • Fabio Farzat
            em 15/02/2012 11:04

            Hahahaha, seu muquirana. Eu disse: como filme de scifi esquece! Nem vale comentar. Mas em linhas gerais é bonzinho. Médio. Cérebro na cadeirinha amarela … :B

          • Vou atender a sua sugestão e passar a cadeirinha de vermelho para laranja. Amarela já seria demais. Afinal acho que fui duro com este filme, mas tudo depende da expectativa.

  2. *sobre = soube

Deixe seu comentário