Imortais (Immortals, 2011)

Infelizmente esse é mais um filme para a lista de trailers que enganaram. Quando assisti o trailer no cinema fui levado a acreditar que estávamos diante de outra obra como 300, onde parte da história foi adaptada com uma produção que te remete aos quadrinhos de Frank Miller. Vimos isso em Sin City também. Apesar de Imortais (Immortals, 2011) não ter sido baseado em nenhum quadrinho ou similar, as bases são obviamente mitológicas. Zeus e os Deuses Olimpianos, os Titãs, Minotauro e Teseu. E não foi nem de longe uma boa adaptação. Não posso comparar em nada com 300 …


[Aviso de Spoiler]

Como referência mitológica o filme passa longe. Muito longe. Basta assistir os cinco primeiros minutos para ter certeza: os titãs foram reduzidos a estranhas criaturas cinzentas que, ao meu ver, eram totalmente desprovidos de inteligência. Com certeza foi uma moleza para Zeus e outros Deuses prendê-los no tártaro. Tártaro esse que não era o inferno de Tártaro, e sim o monte. Com uma jaula extremamente frágil e estranha, não entendi o porque os Titãs toparam passar alguns bons anos ali. Afinal, pelo que o filme mostra, sair era uma moleza!

O enredo principal é sobre o personagem Teseu da mitologia grega, lendário herói que venceu o Minotauro. Acompanhamos sua luta para impedir que o Rei Hyperion liberte novamente os Titãs numa (aparentemente motivada) vingança contra os Deuses do Olimpo. Fraco nas amarrações entre os fatos do filme, e extremamente superficial no histórico dos personagens ou suas motivações, trata-se de um filme bem mediano. Se não fosse pelas cenas de ação, nada seria salvo.

Hyperion (na mitologia) era um dos Titãs e não um rei humano. E mesmo no filme, nada foi mencionado do porque existia esse objetivo de libertar os Titãs. O tal arco de Épiro estava o tempo todo num labirinto ali do lado e que não era nenhum desafio para ser resolvido. Dito isso, surge o tal Minotauro que não passava de um humano “bombado”. Resumo: enredo muito fraco.

A participação dos Deuses em batalha ficou muito boa, mas ainda assim pecam ao não usar os poderes de cada nas suas ações: a impressão que dá é que todos os Deuses são filhos de Zeus (ele é o único adulto) e que os poderes deles são força e velocidade sobre humana. E nada mais. Se não fosse uma única cena de Poseidon usando o mar nós nem saberíamos que de fato era ele ali…

Fica de novo a impressão de que o negócio é seguir a receita de ação sem nenhum contexto, mulheres bonitas e muito sangue para conseguir lançar um filme.

Comentários

  1. André Farzat
    em 03/01/2012 04:20

    Pois é … Deuses morrendo para titas que pareciam bonecos de massa. A porradaria foi boa, mas história sem sentido nenhum.

  2. Essa ai do trailer eu já percebi que seria uma grande cilada e não tive vontade alguma de assistí-lo. Bom saber, não perderei meu tempo

Deixe seu comentário