Sem Saída (Abduction, 2011)

Acho que estou ficando velho pra isso. A maioria dos filmes hoje realmente são feitos com o único objetivo de vender e não mais de produzir arte. Sem Saída (Abduction, 2011) segue a mesma receita “Holywoodiana” da última década. Um ator fraquinho, um enredo fraquinho mas com uma bela produção, efeitos, lutas e perseguições. Como costumamos dizer não chegar a ser um filme ruim. Diverte um pouco e distrai a cabeça. Porém, está bem longe de ser lembrado …
Sem Saída PosterA trama começa lá com o seu ar de subúrbio americano. Boa vizinhança, belas casas e por aí vai. Nathan (Taylor Lautner)  vive sua vidinha tranquila até o dia em que descobre (??) que tem um passado obscuro  ao encontrar sua foto num site de crianças desaparecidas. Aí o filme desenrola em várias nuances mirabolantes de vão desde ser perseguido (e conseguir fugir) de mercenários internacionais até a própria CIA.

Confesso que já no início na cena de luta entre ele o pai o negócio já começou a ficar estranho. Em seguida quando ele sobrevive a investida dos agentes em sua casa, passei a levar o filme como uma brincadeira. Não dava mais pra levar a trama a sério. E acertei.

Um garoto no final do colegial fugindo com a namoradinha (Lily Collins), literalmente sozinho no mundo, encaixando todas as peças e vencendo todos os obstáculos. Com seus quase 20 anos descobre que até meados dos 5 não tem história? Nunca viu fotos de infância e similares e nunca desconfiou de nada? Pais que não tem nenhum traço em comum … Em seguida temos a CIA, Mercenários e um bom time de agentes atrás do garoto. E por que?  Pois é. Não vou entregar com spoilers aqui mas resumindo: quando não tiver o que fazer pode assistir, não vai chegar a ser tempo perdido. Agora se tiver algo melhor pra fazer …

Comentários

  1. A impressão que tive quando vi o trailer é que se tratava de um “Identidade Bourne” versão teen.

    Esse vou deixar passar :)

Deixe seu comentário