Planeta dos macacos: A origem

Há quem não curta ficção científica quando ela não traz altos aparatos tecnológicos ou similares. Já eu sou da opinião de que a ficção tem que ser pano de fundo de um bom enredo. Planeta dos Macacos A Origem usou esse viés. E vou dizer que eu tinha poucas pretensões sobre o filme. Porém, quando li uma boa crítica no Porra, man! e em seguida acompanhei a discussão nos comentários, lá fui eu adiantar a ida ao cinema para vê-lo. Valeu a pena.

O filme não desagrada a quem não acompanhou os anteriores e mesmo que não curte muito o gênero. Como citei boa ficção é aquela que fica com pano de fundo. Não vi nenhuma grande atuação. O espetáculo do filme realmente é a técnica usada para os macacos. Conseguiram produzir cenas muito boas. Isso misturado a boas sacadas entre os macacos (ressalva apenas para a cena em que se comunicam antes de usar a droga! Isso foi punk, rs) rendeu um filme que eu, honestamente, não esperava ver.

Não achei um filme longo, divertiu bem do início ao fim. Não apelaram no drama, nem no romance, nem mesmo na relação entre os macacos. Gostei da inteligencia que deram aos macacos, não foi algo extraordinário e a de Caesar em especial foi gradativa, ou seja,  conforme os anos passaram ele realmente foi evoluindo e crescendo. bem sacada. Não fosse o fato de que ele foge aos anteriores eu diria que é o melhor deles. Mas ainda dou um voto ao original de 68 e ao de Tim Burton em 2002 e empato os três.

Comentários

  1. Eu fico na ordem com o de 68, este e depois o de Tim Burton

Deixe seu comentário