Cargo

Filmes sobre viagens espaciais longas e impossíveis, com destino um novo e lindo planeta para a humanidade, estão meio na moda. Pandorum já havia recentemente usado esse viés. Antes de assistir a Cargo já havia lido no Porra, man! que não era lá nenhuma Brastemp. Mas como bom fã de sci-fi que sou, consumo praticamente tudo que dá tempo nesse assunto, fui lá eu assistir.

CartazAcabei concordando. O enredo chega a ser bom mas nada fora do normal. Atuação de todos é média, o filme não prende muito porque passa numa velocidade abaixo da qual estamos acostumados com os filmes americanos (sim é um filme suíço). A produção não pecou no cenário e na roupagem das cenas. Triste é dizer que trata-se de uma história com potencial forte que, infelizmente, perdeu a chance. Eles poderiam caprichar na parte da revolução, na trama por trás do planeta Rhea e inclusive sobre como a irmã da Dr. Laura (Anna-Katharina Schwabroh) foi parar lá.

O filme deixou várias lacunas de história que valiam a pena, fora que se tivessem dado velocidade à produção teriam tempo para explorar isso. Mas no geral ele diverte e para quem curte ficção achei que vale perder um pouquinho de tempo nele. Afinal, não temos assim tantas produções nessa área para prestigiar.

Comentários

  1. Eu entendo, também tenho essa curiosidade e senso de ver com meus próprios olhos, e apoio isso. Até mesmo porque cada um tem sua opinião, mas esse filme não tem jeito, fica só no “poderia ser”

  2. Fabio Farzat
    em 31/08/2011 02:57

    Nem te digo: acabou que com sua opinião somada a essa crítica aqui fizemos algumas pessoas desistirem de ver esse filme! Rs.

Deixe seu comentário