Compramos Um Zoológico

Maggie Elizabeth Jones

A grande surpresa do filme foi ver Matt Damon interpretando Benjamin Mee, um personagem fora dos padrões dos seus filmes de ação. Com uma boa interpretação, neste drama Matt contracena com duas estrelas de expressão. A primeira, claro que todos conhecem bem, e alguns bem até demais. É Scarlett Johansson que interpreta a jovem Kelly Foster, uma batalhadora que dedicou 13 anos de sua vida a um Zoológico quase falido. E a segunda? Ah, esta foi sensacional. Maggie Elizabeth Jones é uma estrela mirim. Com 7 anos de idade rouba a cena diversas vezes. Muito expressiva e carismática. Uma doçura de menina, filha de Benjamin e irmã de Dylan Mee (Colin Ford), um jovem atormentado pela ausência forçada da mãe e pela dificuldade de relacionamento com o pai.

A história é baseada em fatos reais. O Zoológico da vida real se chama Dartmoor Zoo Park e fica na Inglaterra. Ele foi aberto em 1968 e após um período de crise foi fechado para visitação pública em abril de 2006. A família Mee adquiriu o Zoológico em agosto do mesmo ano e após um período de reforma foi novamente inaugurado em 07 de julho de 2007 (07/07/07).

Gostei da trilha sonora e do tratamento que foi dado pelo Diretor Cameron Crowe as cenas de diálogos que envolvem Matt Damon. A trama passa por momentos alegres e tristes, pois se trata de uma história de superação. Benjamin Mee tenta a todo o momento esquecer o sofrimento e a morte prematura de sua esposa que deixou dois filhos ainda em fase de muita atenção. Ele precisa resgatar a relação com o filho pré-adolescente que se fecha cada vez mais em um mundo próprio de sofrimento e incompreensão. Benjamin busca a aventura que mudará a vida de sua família e a tornará feliz novamente.

O filme tem um ritmo normal para um drama, mas lento para uma comédia. Apesar de ser classificado como “Livre” nos cinemas, tenho minhas dúvidas se os pequenos terão muita paciência para assistir todo o filme sem se dispersarem. O que pode atrair bastante atenção da garotada são os animais que aparecem com certa frequência na telona. Os diálogos não são longos, mas tocam em assuntos mais profundos que certamente não serão absorvidos pela geração mirim.

A distração é para a família e faz você se emocionar. Não chega a ser um filme diferenciado, mas vale a pena ver. Se você gostar de Matt Damon neste papel, saiba que virão vários outros filmes nesta linha, pois a era de filmes de correria deste ator com certeza já passou. Como ele é bem talentoso, vamos esperar com ansiedade pelo próximo drama Elysium onde contracena com Jodie Foster e Wagner Moura.

* * ** * *

Deixe seu comentário